O Diclin é uma medicação contraceptiva, de uso oral e indicada para adultos. É fabricada pelo laboratório Merck e apresenta embalagens contendo 21 ou 63 comprimidos.

Além de ter função de anticoncepcional, a medicação é indicada para tratar problemas hormonais nas mulheres.

PARA QUE SERVE O ANTICONCEPCIONAL DICLIN

O Diclin, além de ser um remédio contraceptivo, é bastante empregado e eficaz em tratamentos para doenças hormonais andrógenas nas mulheres.

Alguns dos problemas tratados pelo Diclin são a acne, especialmente quando acompanhadas por seborreia; presença de nódulos na pele (acne nodulocística e acne papulopustulosa); problemas leves de hirsutismo (pelos em excesso no rosto e no corpo); síndrome dos ovários policísticos; e inflamações em geral.

Os médicos não indicam o uso do Diclin por mulheres que pretendem um efeito exclusivamente contraceptivo. O seu uso está mais reservado para pacientes que, além de necessitarem de um anticoncepcional, precisam de tratamento para os problemas expostos anteriormente.

Além disso, é recomendado que o tratamento com o Diclin seja interrompido a cada 3 ou 4 ciclos. Isso depois que os problemas descritos acima forem solucionados.

COMO FUNCIONA O DICLIN

Cada comprimido de Diclin apresenta a combinação de dois hormônios. Esses hormônios são o etinilestradiol (estrogênio) e o acetato de ciproterona (progestógeno com funções antiandrogênicas). As dosagens dos hormônios presentes no medicamento são pequenas, portanto, fazem do Diclin um medicamento de baixa dosagem hormonal.

O medicamento funciona de diversas formas no organismo, A presença do acetato de ciproterona, por exemplo, reduz atuação dos hormônios andrógenos na paciente. Assim, o medicamento é uma excelente opção de tratamento contra doenças ocasionadas pela elevação na produção de hormônios andrógenos.

Outra ação do uso do Diclin trata-se da redução do funcionamento excessivo das glândulas sebáceas. Tais glândulas tem impacto direto com o desenvolvimento da acne seborreica.

Com isso, o emprego da medicação levá a destruição das acnes seborreicas existentes. Tal efeito pode ser observado depois de 3 a 4 meses da terapia com o remédio.

COMO FUNCIONA O DICLIN – PARTE IIEmbalagem do anticoncepcional Diclin

Além disso, Diclin tem a capacidade de reduzir a oleosidade excessiva da pele. Esse resultado já pode ser observado nas primeiras semanas de terapia com a medicação.

Diclin ainda está indicado para mulheres que estão em idade de reprodução. Além daquelas que sofrem de manifestações leves de hirsutismo (excesso de pelos no rosto e no corpo).

Os resultados costumam aparecer com alguns meses de tratamento. Os hormônios presentes na fórmula possuem propriedade que inibem o surgimento e o crescimento desses pelos.

Já o tratamento de paciente que sofrem de síndrome de ovários policísticos, o Diclin atua aliviando os sintomas desagradáveis do processo de androgenização. A terapia com o medicamento conduz a normalização dos padrões endócrinos adequados.

Com isso, ocorre a diminuição do desenvolvimento de cistos e do volume dos ovários. Além isso, ajuda na regulação do ciclo menstrual.

Em razão da combinação dos hormônios acetato de ciproterona e etinilestradiol, Diclin também desempenha a mesma função de outros contraceptivos.

As chances de engravidar, usando a medicação corretamente, são extremamente baixas.

Assim, caso a mulher esteja usando o medicamento para tratar as doenças acimas relacionadas, e ainda precisar de um método contraceptivo, não é necessário o uso de outros anticoncepcionais.

Ainda, Diclin costuma apresentar os efeitos dos COCs (Contraceptivos Orais Combinados), ou seja, reduz a intensidade do sangramento menstrual e torna a sua incidência mais curta.

Isso beneficia a paciente, que tem menos quantidades de ferro expelidas. A medicação ainda  ajuda no alívio das cólicas menstruais.

COMO TOMAR O ANTICONCEPCIONAL DICLIN

O primeiro comprimido do anticoncepcional Diclin deve ser tomado pela mulher no primeiro dia de sua menstruação. A terapia deve continuar por 21 dias, sendo que, durante esse prazo, os comprimidos devem ser ingeridos diariamente – de preferência no mesmo horário.

Após o período de 21 dias, a mulher deve fazer uma pausa de 7 dias. Durante esse período de pausa, provavelmente, ocorrerá a menstruação. Depois dos 7 dias de pausa, o ciclo de 21 dias de ingestão do medicamente deve continuar.

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido revestido de Diclin contém: 2 mg de acetato de ciproterona e 0,035 mg de etinilestradiol.

Além dos excipientes: croscarmelose sódica, amido de milho, estearato de magnésio, dióxido de titânio, lactose, hipromelose,  polissorbato 80, macrogol, silicona antiespumante, povidona e talco.

CONTRAINDICAÇÃO

O Diclin possui algumas contraindicações. Veja a seguir em que situações não se recomenda o uso da medicação:

  • História recente ou atual de derrames cerebrais ou ataques cardíacos.
  • História recente, atual ou anterior da presença de coágulos em veias da perna (trombose) ou do pulmão (embolia).
  • Diclin apresenta risco significativo para o desenvolvimento de coágulos nos venosos e nas artérias. Portanto, o medicamento não deve ser usado sem autorização médica.
  • História recente, atual ou anterior da presença de sintomas como: dores no peito que se estendem para o braço esquerdo.
  • O uso da medicação é contraindicado para pessoas com diabetes mellitus.
  • O uso de Diclin está contraindicação para pacientes com lesões em vasos sanguíneos.
  • História recente, atual ou anterior de enxaquecas acompanhadas por sintomas visuais ou dificuldades na fala; além de adormecimento em alguma parte do corpo e sensação de fraqueza.
  • História recente, atual ou anterior de câncer no sistema reprodutivo ou nas mamas.
  • História recente, atual ou anterior de ocorrência de tumores no fígado – sejam benignos ou malignos.
  • Ocorrências de sangramentos vaginais anormais não diagnosticados ou tratados.
  • Suspeita ou confirmação de gravidez.
  • Diclin não deve ser usado se a mulher já utiliza outro anticoncepcional. Nesse caso, para usar o medicamento, deve-se suspender a utilização do anterior.
  • Ocorrência de hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula de Diclin, devido ao risco de surgirem alergias, coceiras,inchaços e erupções na pele.
  • Diclin não deve ser usado se a mulher estiver em fase de amamentação.
  • O medicamento deve ser receitado com cautela para mulheres acima de 35 anos, que fumam a partir de 20 cigarros por dia.
  • O uso do medicamente é contraindicado para homens.

EFEITOS COLATERAIS DO DICLIN

O uso do medicamento oferece alguns efeitos colaterais importantes.Abaixo você confere os principais efeitos colaterais do Diclin:

  • Comuns (ocorrem em ≥ 1/100): aumento de peso; náuseas e dores abdominais; estados de depressão e flutuações do humor; dores de cabeça; dores e sensibilidade nas mamas.
  • Incomuns (ocorrem em ≥ 1/1.000 e < 1/100): retenção de líquidos, que provocam inchaços; vômitos e diarreia; redução da libido; enxaqueca; aumento das mamas; urticárias e erupções na pele.
  • Raras (ocorrem em  1/1.000): hipersensibilidade aos componentes da fórmula; intolerância para o uso de lentes de contato (irritação nos olhos, rejeição das lentes); aumento da libido; perda de peso; eritema multiforme e eritema nodoso; aparecimento de secreções mamárias e secreções vaginais; tromboembolismo.
  • Reações adversas graves, sem índices de incidência: problemas tromboembólicos arteriais; problemas tromboembólicos venosos; aumento da pressão arterial, acidente vascular cerebral (AVC); hipertensão; mudanças quanto à tolerância à glicose, hipertrigliceridemia; desenvolvimento de tumores hepáticos benignos ou malignos; cloasma em pacientes com hereditariedade para angioedema; problemas nas funções hepáticas; intensificação dos sintomas de angioedema, devido à presença de estrogênios; aparecimento de cálculos biliares; piora do quadro de condições relacionadas ao uso de COC (anticoncepicionais orais combinados), como: prurido, icterícia, síndrome hemolítico urêmica, lúpus, herpes gestacional, Coréia de Sydenham, redução da audição relacionada com otosclerose; colite com presença de úlceras; doença de Crohn; câncer na região cervical. Também foi observado uma maior incidência do desenvolvimento do câncer de mamas, em comparação com pacientes que não fazem uso do Diclin.

SUPERDOSAGEMCartela de comprimido Anticoncepcional Diclin

Não existem relatos graves em relação a superdosagem com Diclin. Geralmente, o uso de doses maiores que as recomendadas podem causar sintomas como vômitos, enjoos e leves sangramentos vaginais.

No entanto, é cauteloso buscar atendimento médico em casos de superdosagem, pois medidas de segurança podem ser necessárias.

Também é possível entrar em contato pelo número de telefone 0800 722 6001, para mais informações sobre a superdosagem.

PRECAUÇÕES

Diclin não deve ser utilizado, em hipótese alguma, sem indicação médica. Além disso, o uso do medicamento deve ser descontinuado se os benefícios não forem percebidos pelo paciente e pelo médico.

Vale ressaltar, também, que a medicação não protege a mulher contra Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST’s). Assim, a utilização do medicamento não dispensa o emprego do preservativo durante as relações sexuais.

Durante o uso do Diclin o médico deve ser consultado com regularidade, para que o profissional possa avaliar a usuária e realizar exames clínicos ou ginecológicos, se considerar necessários.

INTERAÇÃO DO DICLIN COM OUTROS REMÉDIOS

O Diclin pode interagir com outros medicamentos. Saiba mais a seguir sobre a interação do Diclin com outros remédios:

  • Medicamentos para o tratamento de epilepsia, como fenitoína, primidona, oxcarbazepina, carbamazepina, felbamato ou topiramato.
  • Medicamentos para o tratamento da tuberculose, como a rifampicina.
  • Medicamentos para o tratamento da Hepatite C ou HIV, também conhecidos como  inibidores das proteases e inibidores não nucleotídeos da transcriptase reversa.
  • Erva de São João, usada para o tratamento da depressão.
  • Medicamentos diversos, contendo, por exemplo, ciclosporina.
  • Antiepilético lamotrigina.
  • Medicações em geral: o uso concomitante de Diclin com outras medicações em geral pode reduzir a sua eficácia ou causar sangramentos leves vaginais.

DICLIN PREÇO

Diclin com 21 compridos custa em torno de R$ 16.50. Já a versão com 63 compridos custa em média R$ 39,50. Esses valores podem apresentar alterações, de acordo com o estabelecimento que comercializa os produtos.

Para comprar Diclin não é preciso apresentar receita médica. Não entanto, como já mencionado, este medicamento não deve ser usado sem autorização do médico ginecologista, pois pode colocar a sua saúde em risco.

DICLIN GENÉRICO

Não existem, até o momento, versões genérica para o Diclin. O que existem são medicamentos similares, produzidos por outros laboratórios.

PERGUNTA DOS LEITORES

DICLIN ENGORDA OU EMAGRECE?

Depende da reação individual em relação ao medicamento. Porém, existem mais relatos de ganho de peso do que de emagrecimento com o uso do Diclin.

DICLIN SERVE PARA ACNE?

Sim, o Diclin é um medicamento que demonstra resultados excelentes para tratar a acne, especial, acompanhada de seborreia.

O ANTICONCEPCIONAL DICLIN TEM MUITO HORMÔNIO?

Não, os 2 hormônios presentes na fórmula apresentam baixas dosagens.

DICLIN É BOM MESMO?

Sim, o Diclin é um medicamento extremante eficaz para o tratamento dos problemas já descritos e como contraceptivo.

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!